terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Anônimo11 de dezembro de 2017 22:30
Caro Olimpio não se deixe curvar perante a imbecilidade alheia e não seja fraco como são fracos alguns anónimos que não respeitam a sua escrita e mantenha este espaço.
Abraço Grato pelo apoio ao meu blogue, mas os anónimos de mais pidescos e dos malfeitores da K.G B. não tenho que os aturar nas suas doentias ortodoxias,as quais não permitem outras considerações que não sejam as suas , por isso o enviei para os locais onde está como peixe na água Democracia? Estes são de aviário, pois calam os piores crimes que a humanidade conhece Abraço e bom Nata  Publicado no meu facebook para que conste

domingo, 10 de dezembro de 2017

C

Caro anônimo.Antes do mais bom Natal em família e com os amigos se os tiver.

Deixei de me manifestar neste sitio por sua culpa e de outros mais, por não me entender com as doenças das vossas ortodoxias.Sem consciência critica, adulterada pelas irresponsabilidades dos anonimatos, são a vossa desordem mental e a minha ultima resposta O meu comentário sobre a morte de Belmiro Azevedo, porque nunca odiei os ricos, foi manifestada sobre uma entrevista em que dizia de um método ganancioso e sem critérios de partilha salarial com os seus trabalhadores, afirmando grotescamente que salários baixos, podiam propor mais emprego, já que a sua morte não me proporcionou motivos de vingança O que lamento no pobre comentário, foi trazer a P.I.D e KGB, para esta conversa sobre o capital e os seus exploradores, o que me leva a temer a sua simpatia por estas sinistras policias ´Só pelos milhões que mataram, o meu caro anonimo, devia curvar-se em respeito pelas memórias dos nossos semelhantes, denunciando-os e não se tornar-se um cúmplice desses fascistas, misturados com outros pretendentes, queira Deus que não seja o seu caso.Bebem sangue humano ao pequeno almoço e nunca estão fartos. Já que estou em maré de frontalidade, porque nestas matérias ninguém me cala, salvando a minha modéstia com o poeta de Águeda, faça uma formação na Correia, mas não do Sul,mas se quiser vou consigo a um local para se treinar num comité popular, podendo depois na sua zona, assumir as rédeas das suas ambições politicas e desumanas, permitindo só a entrada aos seus amigos de clube Creia-me com lealdade

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Pensei duas vezes se devia.,,Mas a alma diz-me que deve "soltar-se para viver e sonhar"apesar de vos trazer a morte de alguém que já não pode defender-se "Bater " em alguém que morreu torna-se delicado, muito embora na morte, é habito dizer-se que todos foram bons de mais Talvez por ai funcione o meu silèncio, o que nem sempre é facil quando se trata de criminosos, sendo justo dizer que não é o caso A reportagem sobre Belmiro Azevedo, não me deixou invejoso da sua fortuna, o que me deixou triste muito triste, foi numa entrevista ter afirmado. Só com salários baixos há trabalho para todos, ao sabermos que a sua estranha fortuna foi construida com o suor dos seus trabalhadores Este pode ser o capital miserável, com o respeito pela morte do homem, disse-me a necessidade de o dizer de uma brutal fortuna que me deixa vazio e a pensar na sua enttrevista

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Crime digo eu.
Admiro o caracter dos que na prática das suas vidas, exemplificam os seus exemplos, deixando no vazio as fantasias o que parece e não é. Felizmente não somos um país com senhas de racionamento alimentar, basta percorrer este belo Portugal, de Norte a Sul, percebendo as incríveis e abundantes prateieiras das superficies comerciais, recheadas com algum exagero num consumismo incontrolável, Depois alguém recorda em choque as Tiendas e as aldeias a precisar de reformas estéticas e sociais. percebendo também as semelhanças inuteis com este país de grupos abastados e que não tem vergonha da caridadezinha que humilha.Negar os excessos de comida aos que tem fome, como foi o caso é crime digo eu agora outra vez com a noticia no Aeroporto Sá Carneiro. Como havia muitos pedintes, a empresa que prepara os alimentos para a zona ViP, só podia ser VIP,retirou os alimentos aos funcionários, porque os davam aos sem.abrigo, preferindo numa abundãncia estúpida ,coxas de frango,pastéis,croquetes, comida vegetariana, no valor de mil euros, foi tudo para os contentores, isto pelo que entendo, os pedintes metiam nojo com a sua fome Ora eu que sou bom a dar sentenças , procurando a solidariedade que me escapa, reafirmo o crime a precisar de policia á porta,Se os restos em minha casa,são devidamente saboreados no dia seguinte,se houvesse excedentes de alimentos, jamais esta anormalidade acontecia, mas com" VESPAS" ninguém leva a melhor na barriga cheia de insensibilidade social

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

rnandes
6 h
Esta noite dei por mim a pensar na minha caminhada e na ignorância de tanto desconhecer, mas sempre preocupado em aprender com os que mais sabem. Estou por saber se a minha ignorãncia é um defeito meu, ou acaba por não o ser de todo, partindo do principio que a arrogância que tudo desfaz nos outros, não é uma armadura que os protegem ? Eu ignorante confessado ao padre da minha aldeia, quero aprender sempre, mas será que os arrogantes não padecem de uma doença incurável e de um sectarismo que lhes transmite a crueldade da sua arrogância? Cheguei a velho, felizmente não fiquei pelo caminho, O sono nos velhos é uma mordomia que vai rareando, mas vou retirando conclusões das minhas insónias e da minha ignorãncia no teatro da vida, algumas vidas desesperadamente sem humildade e encharcadas numa psicose doentia Desisti do meu blogue, devido a estas bacoradas anónmas que não sabem respeitar nada de seu e dos outros  Entre os ventos e as marés, é de alguma vez um programa sobre Montemor ? Para isso, tenho o baixo Mondego Boa semana de trabalho, se for caso para tal

terça-feira, 14 de novembro de 2017


Entre os Ventos e as Marés, na Foz Mondego Radio 99.1 Na próxima quinta feira, com inicio pelas 22 horas, vamos iniciar mais uma serie de programas( 6 meses) sobre a Vila de São Pedro Mafalda Rodrigues, será a responsavel pelas imagens e as suas sonorizações, sendo depois emitidas nas redes sociais Os convidados para quinta feira .Antonio Salgueiro, presidente da Junta de Freguesia Dr Jorge Mendes, escritor Dr Luis Curado, historiador, focados nas origens da localidade. Jorge Nogueira, Ana Madureira, Tó Ze Carraco, Mafalda Rodrigues, Lena Santos , Miguel Machado, Olimpio Fernandes, só podem prometer trabalho

terça-feira, 24 de outubro de 2017

amena, saborosamente tranquila.
Não me senti preocupado com a salvação da minha alma, face ás minhas turbulências em vida, estranhamente feliz, coisa rara, direi. Lá estarei para prestar as minhas contas, sem medo por morte seja, me assuste o caldeirão do inferno. Este fim de tarde deu-,me vida e gratidão de a ter vivido, estrada fora, com o propósito honesto e sem subterfúgios, de perceber agora no obstáculo intransponível do que tenho assegurado, mais dia menos dia. Ora; nada disto me assusta ou me condói, num mundo tão parvo de soberba e desprezo pelos outros, cujo ódio rosna com brutalidade, alimentando-se das habituais miudezas, tantas vezes de rua para rua, a dois passos de ti e de mim.
Aos 76 anos de idade, recordo já uma mão cheia de mortos, de pessoas que amei e que foram desaparecendo, recordando-as nas fotografias e na minha memória. Os pais, Avó São, que percorria o caminho da Barca, até Montemor , para levar ao seu nétinho, o tacho de sopa com carne de porco e chouriça O menino aprendiz de barbeiro, não podia apanhar sol! A broa, a broa amassada pelas suas mãos, que sabor e que recordações com gratidão. O instinto de sobrevivência desafiou-me neste fim de tarde para intimas reflexões, que vou existindo como sobrevivente da minha própria vida, mas sonhando, sonhando e amando os projectos e as causas, até um dia destes. Não faço ideia nenhuma ideia nenhuma desta tarde tranquila em 23 de Outubro de 2016, mas ainda aparece por aqui ás vezes

quinta-feira, 5 de outubro de 2017


Perdido na tralha!
Demorei largo tempo a procurar a minha utopia, porque sabia que o tinha lido, à vários anos, acabei por o recordar e reler outra vez, algumas páginas de Thomas More, a sua utopia , aspirando por uma sociedade perfeita O meu fascinio por estas questões sociais, sobretudo nos contraditórios, não é procurar o fútill protagonismo do mais saber, ou o ridilico pretencioso de sobrepor-me aos que mais sabem. Estão enganados, muito enganados.O que me move é o meu desígnio como homem social e de partilha, procurando na luz de aprendizagem com os outros, esta inquieta racionalidade entre o bem e o mal. A obra de Thomas More, um notável pensamento com 500 anos e por isso mesmo intemporal, desafiando as nossas convicções no presente,descarta a nu os utopianos. Comem e sabem com pratos de porcelana ou de vidro,agrilhoando e aprisionando os restos da sociedade , escreve More, criticando sem medo o poder politico e religioso, o que o levou a ser decapitado em 1553.No conceito do iluminado escritor, o fervor das ideologias , tem qualquer coisa de espantosamente radical e devastador. Utopias quem as não tem? More, ensina-me no seu livro humanista, que algumas ideologias ultrapassam os limites do bom senso, então na politica e na religião o desespero e a fuga para um mundo irreal, é assustador Volvidos alguns anos,sinto o prazer em reler a fabulosa Ilha da utopia, uma vivência oposta aos pregadores de sempre, que não sabem ou não querem respeitar as virtudes da moderação.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

O tempo esse controlador das nossas vidas

55 anos depois! Parei ás entradas dos dois salões em que aprendi e trabalhei na profissão Olhei-as para ter a certeza se tinha sido por ali as minhas lutas na transição dos cabelos e barbas, quando procurava a alternativa na delicada profissão, como é ser cabeleireiro de senhoras! 55 anos depois, na Rua do Crucifixo e na Rua Nova do Almada,a dois passos do Chiado, só percebia na mesma sintonia, o corre corre das pessoas e sem a aproximação do bom dia. Se assim fosse, talvez fosse mais simpatico,levantar um letreiro com a inscrição do bom dia. As grandes cidades, originam emoções diferentes, mas fui procurá-las 55 anos depois, numa fase derradeira do que já não existe naqueles dois salões de mulheres.Bom dia, bom dia,permita-me. Sou colega e trabalhei neste salão Venha, venha ver tudo modernizado, estou a ver,sim sim, respondi Citei nomes, fiz perguntas, 55 anos depois e já não tive respostas,Ao descer as escadas dos salões, senti-me vencido Muitos já partiram e outros continuam na caminhada por aí, tal qual a minha, volvidos 55 anos!

Venham á Cova Gala e tragam a familia


segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Comunicar é viver os sentimentos de cada um de nós pela verdade e pela solidariedade,Quem não for capaz, percebemos as dificuldades da sua natureza, mas o pior é procurar iludir-se e aos outras também na velha questão, entre o Ser e o parecer, métodos diferentes e com olhos de ver a sério as diferenças
Qual o motivo? Chamavam-lhe Bispo Vermelho, mas a sua mensagem não trazia carga do ódio e dos assassinatos.De igual modo enfrentava o poder dos senhoras da politica,a falsa mensagem da solidariedade, como teve a coragem na sua Igreja,ao contrariar Soares e Cavaco. Quando chegou a Setubal,afirmou,Aqui anunciarei O Evangelho da justiça e da paz, vivendo com seu rebanho, dizendo que havia duas classes de padres os que acreditam no que dizem e fazem e os meros funcionários da Igreja Teve a fé e a coragem de abalar o cristianismo das aparências, das falsas aparências da caridadezinha.,Estes e outros crentes deixaram-me os seus exemplos e se nada faço, pelo menos os sinto com o meu respeito

Sentir e viver o que é nosso no teu e meu país



domingo, 24 de setembro de 2017


Olímpio Fernandes
Agora mesmo
As bandeiras ao vento, saíram ás ruas
No sábado pelas ruas da cidade da Figueira da Foz, a liberdade soltou-se com bandeiras ao vento, beijos e abraços, proporcionando uma alegre vivência nos que acreditam que a democracia é um bem precioso no colectivo das boas causas sociais Gaiteiros, algum saudável alarido,as propostas de mão em mão, são as campanhas eleitorais, trazidas no seu tempo, mas que o tempo se vai encarregar de por a nu algumas honestas estratégias, enquanto outras mais se vão mostrar desastrosas e aproveitadas com objectivos já conhecidos do povo ! De qualquer modo,se as bandeiras saíram ás ruas das cidades deste pais, há que cuidá-las com simpatia, porque felizes são os povos que o podem manifestar por ruas e avenidas,se com pesar, recordamos os povos que não usufruem este belo privilegio

sábado, 23 de setembro de 2017

Se não fossem os ladrões, teriamos um pais mais equilibrado socialmente, pois temos tudo para que fosse um pequeno paraíso






Caros visitantes. Eu e a minha mulher, mais uma vez ficámos orgulhosos do nosso país, ao visitarmos a Pia do Urso Só visitando e percorrendo o circuito pedonal,se pode avaliar a beleza intacta da natureza. Leiam e façam uma visita com a familia, porque os sentidos agradecem

Uma visita surpreendente há Pia do Urso,Temos um pais, o qual no devemos orgulhar,aproveite e vá confirmar


“Pia do Urso”, a emocionante história do Portugal eterno
Por mundolusiada | 15 setembro, 2015 as 10:52 am | Nenhum comentário
Na História maravilhosa do PORTUGAL ETERNO, inúmeros fatos ocorreram em diversas épocas, que hoje à luz dos acontecimentos enchem o nosso coração de verdadeiras emoções, não só pelos fatos ocorridos, mas também pela beleza que deles nos trouxeram de séculos e séculos sem fim.
A emocionante história registrada da “PIA DO URSO”, acontecimentos grandiosos se desenrolaram em várias épocas ligadas à eles, que naturalmente nos enchem de orgulho e consequentemente trazem a nós um sonho de ir visitar essas regiões maravilhosas, o que aconteceu com a minha pessoa nos idos do ano de 1998, quando em viagem de 30 dias estive nessa região maravilhosa que me ornou a mente eternamente.
A região de PIA DO URSO fica na FREGUESIA DE SÃO MAMEDE, no Concelho de BATALHA, há 12 quilômetros de FÁTIMA, um local cheio de história.
Na época dos Romanos, “ALQUEIRÃO DA SERRA E PORTO DE MÓS” eram locais muito conhecidos dos Romanos, quando LISBOA era “OLISSIPO” bem como “COLLIPO” era LEIRIA, e “BRACARA AUGUSTA” era BRAGA, a MERIDA, capital da LUSITÂNIA (com seus nomes romanos).
No ano de 1385, PIA DO URSO serviu de passagem para as tropas de D.NUNO ÁLVARES PEREIRA, na caminhada para OURÉM a PORTO MÓS, na grandiosa Batalha para a Independência de Portugal, na famosa batalha de “ALJUBARROTA”. Após 500 anos “PIA DO URSO” foi ornada com a Batalha contra a Invasão Francesa, onde os franceses arrasaram boa parte da região, dizimando boa parte da população e arrasando vários locais tradicionais.
A Origem do nome “PIA DO URSO” provavelmente se deu em razão de ser uma região muito rochosa, e com grandes vertentes de água, e onde era realmente um “URSO” que vinha beber água num maciço rochoso em formato de Pia e dai advém o nome “PIA DO URSO”.
Essa freguesia mantém até hoje a sua estrutura antiga, com tudo feito de pedra, que dura há vários séculos e com certeza durará eternamente em Portugal. E para se ter uma ideia, apesar da modernidade dos tempos atuais, é verdadeiramente eletrizante ver o local, as suas ruas e calçadas, prédios de todo tipo, e uma visão fantástica de um passado que para o turista ou visitante é como se fosse o presente transportado de eras passadas maravilhosas e eletrizante do sempre maravilhoso e eterno Portugal.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

A verdade é que contra factos não há argumeentos

Bom dia .O programa Baixo Mondego, durante muitos meses em emissão, retirado para renovação, regressa no dia 14 de Outubro 2017, entre as 15 e as 17 horas O meu critério é dar-lhe a divulgação em todas as freguesias , não excluindo , nem sequer as Testemunhas de Jeová Chega?
Agradeço um ideia, vamos trabalhar, para o programa sobre a vossa terra Vozes da Freguesia de São Pedro? Vozes da Cova Gala?  Gentes da Beira Mar?  Ao leme niguem se teme? Venham daí sugestões Estou de ferias, vou sair da Figueira , mas volto Até lá Abraço

O caracter das causas não pode ser treta.

Quem disse que o Fair Play, era uma treta? Não quero inventar. Julgo que foi o treinador, Jorge Jesus,Recordei-o agora, devido a este movimento que se gerou no facebook, sobre a paz entre os humanos, num apelo lançado e que apreciamos no seu conceito.Se é verdade que sou contra as manipulações, o doping, o que se faz com os atletas na sua genética, tive uma ideia! Porque não se faz nos partidos politicos, uma especie de UEFA, para se controlar e punir a sua falta de ética nos colegas do mesmo oficio, construindo-se a paz anunciada e jamais assumida? Não podendo no faz de conta das suas propostas,assumir a função e a prática do Fair Play, que vendem nas feiras das intenções e ao desbarato, vamos tendo fora da politica, também alguns manipuladores, incapazes de propor e praticar o seu exemplo A paz parte de mim, percebendo a inutilidade dos conflitos, inclusive ser capaz de pedir desculpa por erros de momento, mas sempre vinculado ao caracter dos compromissos e da paz que me vai alimentando Tenho um amigo em Montemor, que me diz que vou para o céu?, Rir, rir, rir faz bem á saude e esses motivos são necessários para nos rirmos, pois então.desta comédia que podia representar-se numa peça de teatro, no que diz respeito a muitas inutilidades na minha e na tua vi

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Boa Noite

Faço da minha profissão o meu sustento e da minha família, aos 77anos de idade, tendo como ordenado da radio,as despesas pagas, o que já tinha montado uma barraca por baixo de uma ponte, por aí, algures.Por causa da minha paixão pela radio, perdi muitos clientes, fechando o salão, levando com percas de trabalho Não é justo acusarem-me que só Montemor, é a minha causa, recordo-vos  Freguesia de São Pedro, Paião, Marinha das Ondas, Buarcos , Tava rede ,Carapinheira e Montemor, Quiaos,, foram programas por mim assumidos, com apoios do meu amigo sr Sansão Coelho, entre outros apoios na rádio, portanto não é justo que me digam que a minha terra, tenha por lá a sucursal No dia 14 de Outubro, vou retomar o programa Baixo Mondego, aos sábados entre a s 15 e as 17 horas Ficam convidados em direto com as vossas opiniões, certo? O meu respeito Olimpio Fernandes

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Entre o Surf e a Muge, a minha explicação.logo que tenha tempo.

A minha causa e preocupação, não foi e nunca será, ter sido "despedido do Jornal de Montemor"sem que nesse efeito, tivesse sido formalizada a respectiva nota de culpa, apesar das minhas exigidas explicações ao"patronato" . Recordei o meu tempo de trabalhador na minha profissão. Na mesquinha relação laboral, a velha ordem Salazarista, dava um pontapé no rabo aos trabalhadores, empurrando-os para o desemprego, ridicularizando a dignidade dos que tinham mulher e filhos para sustentar. Não exageremos! O que defendo é outra causa, o que no jornalismo profissionalizado e competente (o meu coitadinho não passou do amadorismo e da sua carolice) se justifica na deontologia rigorosa do seu serviço público, tendo sempre como condição única, o que devemos aos leitores, respeitando-os nos temas elaborados e noticiosos, Com estes principios e não rastejando envergonhado de bloco na mão ou gravador,sinto-me muito feliz com um"despedimento", que no resto não me envergonha, antes denuncia o caseirismo informativo, dando voz a uns e calando outros Os leitores precisam de saber a verdade, dos alimentos com validade ou não, oferecidos pela Cãmara,só assim um jornal em Montemor, se pode folhear, elevando-se aos olhos dos leitores

Aprecio e respeito as criticas bem intencionadas

Só agora li os vossos comentários.Entendo-os criticos e oportunos, que justificam respostas com as minhas razões e que vão perceber, decerto?

Jornalismo envergonhado , em Montemor

A minha causa e preocupação, não foi e nunca será, ter sido "despedido do Jornal de Montemor"sem que nesse efeito, tivesse sido formalizada a respectiva nota de culpa, apesar das minhas exigidas explicações ao"patronato" . Recordei o meu tempo de trabalhador na minha profissão. Na mesquinha relação laboral, a velha ordem Salazarista, dava um pontapé no rabo aos trabalhadores, empurrando-os para o desemprego, ridicularizando a dignidade dos que tinham mulher e filhos para sustentar. Não exageremos! O que defendo é outra causa, o que no jornalismo profissionalizado e competente (o meu coitadinho não passou do amadorismo e da sua carolice) se justifica na deontologia rigorosa do seu serviço público, tendo sempre como condição única, o que devemos aos leitores, respeitando-os nos temas elaborados e noticiosos, Com estes principios e não rastejando envergonhado de bloco na mão ou gravador,sinto-me muito feliz com um"despedimento", que no resto não me envergonha, antes denuncia o caseirismo informativo, dando voz a uns e calando outros Os leitores precisam de saber a verdade, dos alimentos com validade ou não, oferecidos pela Cãmara,só assim um jornal em Montemor, se pode folhear, elevando-se aos olhos dos leitores

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Generalizar, foi erro meu

Caros visitantes e companheiros na mesma viagem. As festas acabaram, outras estão por aí, mas agora é tempo para outras manifestações menos festivas.As causas e os contraditórios com as ideias de cada um, por mim estão de volta, já a seguir.Generalizar, talvez .. Conínuo a pensar na burrice,do tamanho do mundo. perdermos a cordialidade de os entendermos, só por optarmos nas nossas cidadanias e direitos humanos, o que julgamos mais equilibrado nas nossas convicções, quer na religião, ou então na discussão social da politica.
Generalizar, talvez, apesar das minhas boas intenções,(o meu inferno está cheio delas) cometi o erro de generalizar no julgamento fácil,os crimes históricos dos ditadores,que acabaram por escrever o seu nome com o sangue dos seus opositores.Ora, esta realidade , não só a devemos denunciar, como nas escolas, as crianças deviam saber dos seus professores, o que foram e fizeram esses criminosos Generalizar, foi pois um erro grave ao universalizar os déspotas da sanguinária história, ao por em igualdade,( eu que denuncio os fundamentalistas religiosos e politicos, onde só as testemunhas de Jeová, julgam salvar a sua alma) não saber separar o trigo do joio, levando, justamente nas orelhas do meu respeitado amigo Jorge Camarneiro

sábado, 16 de setembro de 2017

Depois de ler este texto, fiquei convencido que não sou velho, mas sou velho mesmo, muito embora sonhador. Olimpio Fernandes . 
Conheço jovens de 80 anos e velhos de 20. O que é ser velho? O que faz de alguém uma pessoa velha ou envelhecida? Velha é a pessoa que perdeu a vontade de aprender. Velha é apessoa cheia de verdades e sem disposição para aceitar as diversidades de opiniões, as diferenças individuais. Velha é a pessoa que faz tudo sempre da mesma maneira e que se irrita quando as circunstâncias a obrigam a mudar. Velha é a pessoa que não quer mais ler, estudar, participar. É a pessoa que desistiu de olhar para o mundo e para os outros. Que sente piedade de sua própria velhice e curte a solidão do abandono, fechada num quarto de espelhos, culpando o mundo pela sua infelicidade. Assim, ser velho ou velha, independe da idade cronológica pois há pessoas de pouca idade que vivem dessa maneira! Uma das coisas mais bonitas que vemos, são pessoas de idade avançada sabendo conviver com sua experiência. Não são "assanhadas" demais, nem tristes. Sabem seus limites. Fazem-se respeitar por seu equilíbrio, por uma alegre sobriedade que transpira a sabedoria que só os anos são capazes de nos dar. Num mundo de mudanças velozes, cuidar da cabeça é fundamental. Temos que ter coragem e decisão para fazer coisas novas e principalmente "desaprender" as que não servem mais. E ainda ter sabedoria para distinguir as novidades passageiras, dos valores permanentes que devem ser mantidos e preservados, apesar das mudanças na tecnologia e nas ciências. Honestidade, ética, respeito e lealdade são valores permanentes. Da mesma forma, são a família e as amizades. E você? Como se sente? Você é velho(a) ou jovem? Pense nisso.....(Texto: Profº Luís Marins)
Tags:para reflex

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Como é possível?
Não acredito que o Sr Tony Carreira, tenha plagiado os SONHOS DE MENINO, não acredito, mas estou longe de por as mãos no fogo Plagiar na sua aldeia,OS SONHOS DE MENINO, por onde nasceu e cresceu com as suas gentes, é pior que cuspir na sopa, traindo-se no que mais nos motiva, a verdade das nossas origens. O Repórter Mabor, vendeu por lá na sua aldeia a banha da cobra, mas não plagiou as rudimentares letras das suas toscas reportagens, isto por razões logicas do seu insignificante estatuto. O que se confirmou quanto mais alto, maior é a queda

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Na próxima segunda feira, vou finalmente assumir a promessa que fiz ao meu amigo e colega Joaquim Pinto, visitar o museu do barbeiro e cabeleireiro, em Lisboa Julgo que todos os colegas do Pais, deviam conhecer a história da nossa profissão, identificando-se com as origens . O nosso colega merece o apoio da classe, pelos motivos esclarecedores e pedagógicos da nossa profissão Vou lá encontrar a minha maleta de papelão, quando na Barca, de casa em casa cortava as barbas e os cabelos aos meus conterrâneos Até segunda , caro amigo e colega. Espero que tenha aí a banda e os gaiteiros, porque gente assim é outra coisa.


sábado, 9 de setembro de 2017

GostoMostrar mais reações
Comentar
Comentários
Mário Silva Muitos parabéns, ao nosso querido Atlético Clube Montemorense
1939-----2017 Uns 15 minutos para a meia noite, para se festejar mais um aniversário do Atlético Montemorense, fundado em 9-9-1938 Recordamos os fundadores,já esperando por nós. O requerimento apresentado no Governo Civil de Coimbra Foi assinado pelo Sr Joaquim Galvão, pedindo o registo dos estatutos que foram subscritos pelos membros de Assembleia Geral , constituída pelo sr João de Almeida Castanheira e Urbano Marques Bom- Mais logo, escutei agora o bater da meia noite, vamos soprar as velas , no Stand, instalado na feira No dia 16 de Setembro, a grande festa de aniversário, na Quinta do Taipal

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Chutar com os dois pés, é obra de arte?'

O sentido da sensatez, para se perceber a sua espontaneidade, deve mostrar-se no prazer da alegria, como aconteceu uma noite destas nas festas anuais em Montemor, onde se falou abertamente e com fortes gargalhadas,
 Quando cheguei junto do grupo, estava já instalada a melhor animação, redobrando com o alarido de um amigo, de longa data ( julgo que o tive ao colo, na Barca) ao dizer com a melhor das simpatias;chegou o Olímpio, que tanto chuta para a esquerda, como o faz para a direita. Nova e saudável risada no grupo de montemorenses, que não perderam pitada com a inofensiva frase a meu respeito
Ora, como a nossa estima nunca foi feita de papelão, mas de reciprocidade, apetecia-me perguntar ao vento que soprava e era fresquinho, se a nova metolodogia de treino, se adapta a um velho de 77 anos de idade, ou se chutando para a esquerda e a direita de um guarda redes, não vou correr o risco de espatifar alguns postes de estimação, no quadro eterno de se manterem sempre no mesmo sitio? Pensando calmamente, iludindo os goleiros, vou deixá-los cair, então, para os postes, continuando a preferir o centro esquerda da baliza, por forma a evitar confrontos, acérrimos confrontos, onde não há árbitros promovidos, que nos valham Abraço Não se esqueçam do aniversário do A.C.M, no dia 9-9.2017
Vou indo devagarinho, com a "sina que Deus me deu", ou seja, Montemor sempre O desafio do excelente comunicador,Sansão Coelho, levou-me para as festas anuais de Montemor, comunicando para os estúdios da Foz Mondego Rádio 99.1, as conversas com os nossos convidados, em direto para a Região Centro do País José Craveiro, Raul Leitão. no stand da Junta de Freguesia de Tentugal. Logo há mais, a partir das 22 horas, porque comunicar com Sansão Coelho, é uma lição e um privilegio

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Boa noite caro montemorense Afonso Flórido Gostei da sua opinião Como sabe sou pela greve, um direito sagrado dos que vivem do seu trabalho, contra exploradores em que só eles é que tem barriga Gostaria de viver por dentro e melhor conhecer as causas deste conflito, mas não estou É publico a paz social na empresa, no tempo do Chora, ou ele estava comprado pela empresa? Quantos trabalhadores o fazem na noite de Natal, nos anos de casados? Os turnos são uma consequência das grandes empresas, ou não? Atenção meu caro amigo Florido,Não vou ao ladrar dos cães, quando se diz por aí que a Intersindical, que nunca teve poder dentro da empresa, vai agora assumir uma posição destruidora? Não vou por aí, faltam-me dados seguros do que está em causa e nos sagrados direitos de quem vive da sua força de trabalho, o que nada tem com politicas de partidos ou dominios do estado patrão, que bem sabe é outro explorador Espero que no dia 9 de Setembro, vá beber um copo no aniversário do Montemorense, festejado no stand na feira do ano Abraço com amizade
Afonso Flórido Chamar aos trabalhadores da Autoeuropa, mentecaptos não vale, o que vale são os trabalhadores e as suas opiniões em plenários realizados por 90% dos trabalhadores, a maioria dos trabalhadores é gente qualificada e que sabe o que quer e para onde vai. Tenho a certeza que vão encontrar as soluções, para aquela situação. Muita gente fala decor, não sabe, fala pelo que a C.Social lhe diz,eles sabem tudo...
GostoMostrar mais reações
Responder4 h